segunda-feira, junho 13, 2011

Resumão de Ouro: Os melhores de 2010


Com tradição não se brinca. Há três anos, surgia no Blogaritmox o troféu Resumão de Ouro, que quando não premia os melhores do ano, homenageia os que mais se destacaram. 2011 já está na sua segunda metade, e os leitores do blog já tinham perdido as esperanças de verem esta postagem virar realidade...

Bem, como vocês sabem (breve retrospectiva barra arquivo confidencial), este começo de ano foi bem difícil pra mim; estava cursando oito matérias na faculdade, e paralelamente, estudando para o Exame de Ordem, que todos estudantes de Direito (como eu) devem fazer para se tornarem advogados. Neste último Exame, que foi prestado por bacharéis de todo o Brasil, foram apenas 11% de aprovados - incluindo este que vos fala. Foi a primeira vez que prestei o Exame, e olha que nem formado ainda eu sou. Então, se tudo der certo (pode não dar, vamos torcer pra que dê), já vou virar 2012 como advogado!

Claro que estou feliz, mas essa postagem não é sobre mim, correto? Todavia, eu sei que você está com um sorrisinho de orgulho engatilhado, prestes a soltá-lo... Vamos lá... Eu ralei muito pra poder tirar essa onda.

Enfim. Não foi tão difícil chegar aos Melhores de 2010. Desta vez, ao contrário dos anos anteriores, optamos por distribuir apenas 1 troféu por categoria, na medida do possível.

Ah, e por fim, lembrem-se que vocês são sempre convidados para votarem nos Melhores do Ano, e por isso eu não aceito reclamações quanto aos escolhidos. Já não me basta o aborrecimento de que me deu a minha equipe de jornalistas convidados especialmente para fazerem esta postagem, mas que me abandonaram por não aceitarem trabalhar pra mim por menos de um salário mínimo.

RESUMÃO de OURO | Edição 2011

ATOR
ALAN CUMMING (The Good Wife)

Veterano do teatro e do cinema norte-americanos, Alan Cumming (Eli Gold) chegou a The Good Wife como secundário, e não demorou a ser promovido para o elenco fixo. Seu sucesso é tanto que, antes mesmo de a série ser renovada para a 3ª temporada, Cumming fechou contrato para trabalhar até uma eventual 5ª.

A construção do personagem reúne elementos típicos da política: charme, poder e muito cinismo, além de uma poker face, que é o pretinho básico dos bons praticantes dessa arte. Eli Gold consegue se destacar mais do que Peter Florick (Chris Noth), cuja campanha ele gerencia fervorosamente. É um caso raro de um coadjuvante que não precisa protagonizar para roubar a cena, e que sabe como conduzir a sua ambição.


ATRIZ
CLAUDIA RAIA (Ti ti ti)

Foi aos cuidados de Claudia Raia que a autora Maria Adelaide Amaral confiou as melhores frases de Ti ti ti. Uma delas: "Nos anos 80, pichar muro era um must, mas hoje em dia nem deliquente faz isso. Também qual é o sentido de pichar muro se hoje dia qualquer um tem um blog? Da próxima vez escreva um blog".

A atriz conseguiu reafirmar o seu enorme talento com uma atuação despojada, e com todas as emoções que a personagem exigia. E não é de se espantar que Jaqueline tenha caído nas graças do telespectador.


HUMOR
STEVE CARELL (The Office)

Desde que despontou no cinema, em grandes bilheterias como O virgem de 40 anos, ele estava afastado da televisão. Em 2005, Steve Carell ele estreou como Michael Scott em The Office, e trouxe consigo toda a sua credibilidade, além de um talento sobrehumano. Os escritores lhe entregam um script que já era bom por si só, e eis que Steve vinha e fazia misérias com ele.

A série, de audiência modesta, é bastante requisitada pelo mercado publicitário, além de ser um fenômeno de vendas em home video (foi a comédia que mais vendeu DVDs em 2009). Muito disso se deve ao trabalho de Steve, que conquistou a admiração do público, e a confiança dos publicitários. Por essas e outras, a NBC fez de tudo para dissuadí-lo quando ele anunciou que estava deixando a série, por motivos pessoais.

Não conseguiram. Perdemos o Steve. Perdemos o Michael.

A profundidade da interpretação de Steve Carell como Michael Scott é algo que merece ser estudado. Com louvor, ele entrou para a seleta galeria dos personagens mais marcantes da história, além de se consolidar como o melhor chefe do mundo.


REVELAÇÃO DO HUMOR
GABRIELA DUARTE (Passione)

Eu praticamente cresci associando a imagem de Gabriela Duarte a de uma mulher difícil de aturar. Ela parecia toda chatinha, toda ranhetinha, toda filhinha da namoradinha. Pensei que isso nunca fosse mudar; e o mais impressionante é que a redenção tenha acontecido numa novela chata como Passione. Se era chata, tinha tudo a ver com a Gabriela Duarte, certo? Pois então. Foi um raro acerto dessa novela.

A Jéssica não tinha os melhores diálogos ou as melhores cenas; tinha a atriz ideal. Praticamente sozinha, Gabriela quebrou o esteriótipo e hoje pode andar na mesma calçada que os cidadãos de bem.

Seu talento para o humor chamou tanta atenção que ela está confirmada na próxima temporada da sitcom Junto e Misturado, de Bruno Mazzeo.


PROGRAMA DE TV
CONEXÃO REPÓRTER (SBT)

O jornalístico encabeçado por Roberto Cabrini, além da conhecida competência deste profissional, causou grande barulho em âmbito nacional, provocando até a instauração de CPIs, como a da pedofilia na Igreja Católica. Seu trabalho investigativo trouxe para o SBT uma posição de respeito no jornalismo brasileiro, que não se via desde a chegada de Ana Paula Padrão, apesar da baixa audiência. É uma pena que a emissora dê mais atenção ao moribundo SBT Repórter do que ao programa de Cabrini, deixando claro que a sua contratação não foi exatamente pela sua qualidade como jornalista, mas tão-somente para atingir a Record, como parte do plano de vingança pela contratação de Gugu Liberato.


APRESENTADOR
RATINHO (SBT)

Eu gosto do Ratinho! E em 2010, ele novamente se consolidou com o Programa do Ratinho, com toda aquela esculhambação que lhe é de praxe. Nada mais de tentar desconstruir a sua imagem de fogueteiro, como se chamá-lo de Carlos Massa pudesse mudar alguma coisa.

Ah, os testes de DNA! Eles voltaram. E se você pensa que isso é explorar a miséra das pessoas, é porque você não sabe como são as audiências nas Varas de Família, pelos mesmos testes de DNA, e ainda pior: com um pedido de pensão alimentícia em pauta. O pau quebra no Ratinho, o pau quebra no Fórum, com a diferença de que lá, juízes e advogados não deixam os litigantes chegarem às vias de fato. Só o que Ratinho faz é deixar acontecer naturalmente. E provocando um pouco, ninguém é de ferro.

Pois eu reafirmo que gosto do Ratinho, e numa época em que o horário tem tido opções tão fracas, é bom ver a velha ratazana fazendo o que gosta.


SÉRIE
THE GOOD WIFE - Pelo Direito de Recomeçar (CBS | Universal Channel)

"A boa esposa", é a tradução do título. Nós, brasileiros, logo associamos à Amélia, a que não tinha a menor vaidade, descrita por Ataulfo Alves e Mário Lago no samba Ai, que saudades da Amélia. Naquela época (década de 40), muitas Alicias já despontavam na sociedade, deixando nos machões aquela nostalgia pela mulher de verdade.

E a Alicia de Juliana Margulies pode te fazer querer cantar o samba. Desde que o marido foi preso, ela foi obrigada a se redescobrir: como mulher, como advogada (profissão que ela outrora preteriu para cuidar da família), e como mãe. E só sendo uma grande mulher para aguentar a barra de ser mãe do Ben 10 (na foto acima, colocando o sapato).

The Good Wife
é uma série imperdível, mesmo sem grandes cenas de ação. A adrenalina está nos casos que Alicia e os advogados do escritório Lockhart and Gardner têm que enfrentar. Além dos casos: cada advogado, e cada juiz com que eles se deparam, têm uma personalidade diferente e ajudam a compor as histórias; não são meras participações.

The Good Wife
cumpre tão bem o seu papel que até o título em português - Pelo Direito de recomeçar -, apesar de não ter nada a ver com o original, é estranhamente bom e adequado.


NOVELA, AUTOR E DIRETOR
Ti ti ti (Novela)
Elizabeth Jhin (Autora de "Escrito nas estrelas")
Luiz Fernando Carvalho (diretor de "Afinal, o que querem as mulheres?")

Essa categoria está ficando cada vez mais diversificada desde 2009, quando todos os prêmios envolviam A Favorita.

Ti ti ti
foi uma novela ousada, apesar de ser um remake. Apostou em várias linguagens, inclusive mesclando elementos de folhetins anteriores, e mandou bem em cada uma delas. Maria Adelaide Amaral não criou cem por cento daquilo, mas foi muito criativa e divertiu bastante. E apesar de não ter sido a melhor novela dos últimos anos, ajudou a estabilizar a audiência do horário, depois que Tempos Modernos quase pôs tudo a perder.

Elizabeth Jhin
merece o prêmio de Melhor Autora por ter concebido sozinha a trama de Escrito nas Estrelas, uma novela bem leve, fácil de gostar, e com um tema que sempre envolve os brasileiros, por mais que alguns tenham certa resistência: o espiritismo.

E como Diretor, merece aplausos o Luiz Fernando Carvalho, de Afinal, o que querem as mulheres?. A pergunta não tem resposta, mas o diretor tem uma imaginação sem limites. Ele acaba nos mostrando que ainda não vimos tudo, o que é maravilhoso, em dias como os de hoje.

VILÃS
Beatriz (Débora Falabella) e Sofia (Zezé Polessa)
Escrito nas Estrelas

As vilãs mais recentes têm sido ruins de doer, e isso inclui a Clara de Passione, (nada contra a Mariana Ximenes. A personagem é que não sabia pra onde ia). E se você perceber bem, toda novela, principalmente das seis e das sete, promete uma "vilã cômica". Em Escrito nas Estrelas também tivemos o Gilmar (Alexandre Nero), chato até o osso. Não gostei.

Beatriz e Sofia foram as que melhor cumpriram o seu papel. Tinham uma proposta, foram lá e realizaram. A Beatriz teve um começo meio trôpego, pois foi a estreia da Débora Falabella no lado negro da força, e contou bastante com a presença de palco da experiente Zezé Polessa no papel de sua mãe. As duas acabaram formando uma boa dupla de pilantras, o que não se vê desde Bárbara e Tony, de Da cor do pecado.


EPISÓDIO DE SÉRIE

5 to 9 | House
Exibido em 8 de fevereiro 2010 - 13.60 milhões de telespectadores

Por trás do olhar cansado de Cuddy (Lisa Edelstein), não fazíamos ideia do quanto é difícil se colocar em seus sapatos. É tanta burocracia, prazos, problemas e picuinhas, que ter que aceitar as maluquices de House (Hugh Laurie) acaba sendo apenas um entre tantos problemas. Em "5 to 9", tiramos o dia para acompanhar a rotina alucinante da diretora do Princeton-Plainsboro, e passamos a admirar a forma com que ela gerencia cada minuto do seu dia. É um dos melhores episódios da série, que tem passado por um momento difícil, que inclui a saída da própria Cuddy. Que bom que, antes de essa tragédia acontecer, fomos brindados com um episódio tão bom.


There will be bad blood | American Dad
Exibido em 28 de novembro 2010 - 6.13 milhões de telespectadores

Na verdade este episódio não conta nenhuma história tão especial, por isso não vou me alongar. O que ficará marcado na minha memória é quando Roger reencontra sua loba, uma tal de "Felicity", enquanto vagava no meio do nada. Eu tive que rever a cena várias vezes para me controlar, de tanto que ri.


The hot troll deviation | The Big Bang Theory
Exibido em 14 de outubro 2010 - 12.57 milhões de telespectadores

Foi um episódio em que o Sheldon (Jim Parsons) foi o que nunca deveria ter deixado de ser: um coadjuvante. E ele arrasou ao lado do Raj (Kunal Nayyar), brigando para não terem que dividir a mesma sala no trabalho. Foi até melhor que a trama principal do Howard (Simon Helberg), que aos poucos descobriu que o seu relacionamento sério com Bernadette (Melissa Rauch) lhe libertou da necessidade de "fazer justiça com as próprias mãos".

PERSONAGEM
Roger | American Dad

Roger é um ET clandestinamente abrigado por Stan Smith, o "paizão americano" que é agente da CIA. Como não aguentaria ficar para sempre dentro de casa, Roger dá o seu jeito: ele cria milhares de personagens, e sai às ruas sem ser notado. São tantas personas, que algumas fogem do seu controle.

A característica mais marcante do Roger é conseguir ser muito pior do que o "politicamente incorreto", talvez justamente por não ser humano, o que lhe dá liberdade para fazer tudo o que normalmente condenamos (às vezes por razões óbvias). Ele não possui uma sexualidade definida - apesar de preferir homens, a depender da personalidade que ele está assumindo -, mas já estuprou o próprio diário, e além disso é consumidor de todo tipo de droga que você imaginar: Roger é viciado em álcool, tabaco, maconha, heroína, cocaína, crack, esteróides, oxicodona, êxtase, euphoria (a droga falsa de 90210 - Barrados no Baile), óxido nitroso, metanfetamina, e outras substâncias mais.

Ele é o personagem mais cultuado de American Dad, e isso poderia até causar ciúmes no Stan, se ambos não fossem dublados pelo mesmo Seth Macfarlane, criador da série. Só que o Roger é, seguramente, o seu melhor trabalho. De longe.

Clique para ampliar


PARTICIPAÇÃO ESPECIAL
Mamie Gummer como "Nancy Crozier" | The Good Wife

The Good Wife é cheia de boas participações especiais, mesmo que a maioria delas seja de rostos desconhecidos para nós. Nancy Crozier (Mamie Gummer) é uma das advogadas que Alicia já derrotou, e foi mais difícil do que se poderia esperar.

No tribunal, Nancy tenta passar a imagem de uma jovem interiorana, meio bobinha, mas é uma advogada muito malandra. Enquanto a audiência está rolando, ela está com seu bloquinho de anotações a postos - não para escrever, mas para desenhar coraçõezinhos. Isso porque ela já sai de casa sabendo muito bem a estratégia que vai utilizar. E pobre de quem a subestima.

JORNALETEIROS
Ricardo Boechat e José Simão | BandNews FM

Eu, quando estou preso no trânsito, preciso de um pouco de rádio, ou no mínimo ouvir um CD surrado. Caso contrário, a minha mente fica aberta para todo tipo de atrocidade, como fantasiar a Daniela Albuquerque montada num cavalo (mais bonito do que o burro em que ela galopa normalmente).

Enfim... conforta saber que no trânsito, ou em qualquer lugar em que você se sinta bem pra ligar o rádio, você tem a companhia de Ricardo Boechat e de José Simão. Juntos, ainda por cima.

O Boechat sabe quando ser sério e sabe apontar problemas e soluções, com a segurança de quem sabe o que está falando. E o Simão vem, diariamente, roubar alguns minutinhos dessa seriedade. O ponto alto do Buemba! Buemba! são as piadas que você e eu ajudamos a construir, graças aos adoráveis filhos da puta que elegemos para nos fazerem passar vergonha.

MÚSICA

BRUNO "O MARCIANO" MARS

Alguém conhecia o Bruno Mars antes de 2010? E alguém virou o ano novo sem conhecê-lo?
Bruno é um havaiano que está em atividade desde 2007, e no ano passado veio o sucesso mundial com o hit Bilionaire, que escreveu ao lado do também estreante Travie McCoy. Não parou por aí: enquanto os bilhões de dólares não chegam, Marciano tem emplacado diversas músicas no topo das paradas do mundo todo, como "Just The Way You Are" e "The Lazy Song", esta última, cotada para se tornar o novo hino do estado da Bahia.

PAULA FERNANDES

Essa é do tipo de mulher que você torce pra que tenha chegado na sua vida pra ficar. Além da embalagem de encher os olhos, Paula Fernandes tem uma voz linda. Ela gravou a abertura de Escrito nas Estrelas, ganhando projeção em todo o Brasil, e foi só um pontapé que se fez necessário pra que ela pudesse ser reconhecida pela talentosa artista que é.

Não que Maria Gadú também não merecesse o prêmio, mas enquanto esta tietava o Caetano Veloso, a Paula Fernandes vinha pegando de com força o Rei Roberto Carlos, e não se pode subestimar quem tem tão fácil acesso à realeza.
.
KATY PERRY

Outra que você deve ter ouvido à exaustão no ano passado foi Katy Perry. Teenage dream, California gurls e Fireworks estavam mais presentes nas rádios do que os fogos no céu de Copacabana em noite de reveillon. Foi um bom ano para Katy, que não precisou mentir dizendo que saiu beijando garotas, como fez pra se lançar em 2008.


PERSONALIDADES
Chuck Lorre e Charlie Sheen

Quem viu pessoalmente a iminência desse abraço não imaginava que hoje esses dois cachorrões iam se odiar tanto como se odeiam hoje.

Charlie Sheen aprontou, foi expulso de Two and a half men, quis voltar e não deixaram. Acha que a série não vai funcionar sem ele, do mesmo jeito que não funcionaria se não tivesse topado o convite de Chuck Lorre, anos atrás, para interpretar uma versão caricata de si mesmo. Parte disso é verdade.

Sheen e Lorre encerraram uma parceria vitoriosa, e da pior forma possível. Famosos lavando roupa suja em público é algo até normal de se ver; a diferença aqui é que são celebridades de primeiro time, de salários milionários, dando os escândalos de mão beijada aos tablóides.


2 comentários:

Britto disse...

Quem diria que esse resumão ainda viria?
Eu, particularmente, não conheço boa parte dos vencedores, mas como acabei esquecendo de votar, nem tenho como questionar...

Ah, até hoje tenho salvo em rascunho os "grandes destaques de 2010", mas nunca tive coragem de postar. Depois de sua inovação, quem sabe... =P

alan raspante disse...

Ah, cara, nem tenho o que dizer ou contestar. Estou ficando cada vez mais afastado da tv e das séries em geral. Mas, consegui te apoiar na maioria das escolhas em todoas as categorias!

Parabéns pelo primoroso trabalho aqui neste post, bem, no blog inteiro, né?

O novo visual está muuuito bacana. É legal e até estranho ver o BlogX de cara nova, mas sei que irei me acostumar!

[]s

"Blog de humor e fantasia, criado para fins de entretenimento, apenas. As informações e opiniões aqui contidas podem não corresponder à realidade. Se você se ofendeu com alguma postagem, certamente a mesma se trata uma ficção que deve ser imediatamente desconsiderada, e não levada a sério"
Related Posts with Thumbnails

contador de visitas

Contadores Web visitantes desde 12-07-2008 (o blog foi criado em Outubro de 2006) [Contadores Web]